Com alto potencial de dano, Lost March chega forte para o novo metagame e pode ser uma boa aposta para o Intercontinental.

Nessa mini série que contará com 1 post por dia até quinta-feira, discorreremos sobre alguns deck’s com alto potencial de desempenhar bons resultados no Intercontinental de Pokémon TCG, que acontecerá presencialmente a partir da próxima sexta-feira em São Paulo.

Para a primeira matéria dessa série o escolhido foi o Lost March, deck que trás a nostalgia do antigo e hypadíssimo “Night March”, e que tem altos potenciais de dano para buscar um top nesse Intercontinental.

A lista usada nessa matéria pode sofrer mudanças de jogador pra jogador, mas é uma boa base que testei e rodou bem legal em diversas partidas contra todos os deck’s do atual metagame.


DECK LIST

Pokémons (22):
4 Hoppip
4 Skiploom
4 Jumpluff
3 Natu
4 Trumbeak
1 Tapu Lele-GX
1 Alolan Vulpix
1 Oranguru

Trainers (29):
4 Cintia
4 Professor Elm’s Lecture
2 Lilian
3 Guzma
4 Ultra Bola
4 Bola Rede
2 Maca de Resgate
2 Liquidificador Perdido
2 Faixa de Escolha
1 Bola Tempo
1 Santuário da Punição

Energias (9):
3 Incolor Dupla
6 Energias Planta


O Lost March é um deck com alto potencial de Snowball, capaz de causar danos massivos ao custo de 1 energia de planta (no caso do atacante ser Jumpluff) ou 1 incolor dupla (no caso do atacanter ser o Natu).

Sua mecânica consiste em enviar Pokémons para a Lost Zone através da habilidade do Skiploom (que coloca Jumpluff em jogo e coloca Skiploom e Hoppip na Lost Zone) e da habilidade do Trumbeak (que além de ir direto para a Lost zone, ainda revela a mão do seu oponente e te da a possibilidade de descartar 1 apoiador, atrapalhando o jogo do mesmo).
Esse dano ainda pode ser ampliado com o uso de Liquidificador Perdido, que permite que você coloque até 2 cartas da sua mão na Zona Perdida (excelente oportunidade para mandar um Vulpix de Alola ou um Natu para completar aquele dano restante).

O deck ainda conta com Faixa da Escolha e Santuário da Punição para causar ainda mais dano aos Pokémons GX do oponente e buscar dominar a troca de prêmios (já que você só da 1 prêmio pro adversário).

A mecânica é simples, e sua grande qualidade está na capacidade de “Snowballar” o adversário.
Ou seja, uma vez que o Pokémon estiver na Lost Zone, o dano é garantido, já que não é possível retirá-los dalí.

Com essas combinações, Lost March é capaz de causar 1.k.o. em qualquer Pokémon do Metagame, tornando-o um fortíssimo deck para buscar o top no Intercontinental.

PRÓS:

  • Alta capacidade de Snowball;
  • Alta capacidade de dano;
  • Baixo custo de Energia;
  • Baixo custo de recuo dos Pokémons;
  • Troca de prêmios favorável (Só da 1 prêmio por Pokémon abatido já que não usa GX’s -exceção da Tapu Lele que entra geralmente para ganhar o jogo ou salvar uma situação muito adversa)
  • Fácil de “setupar” – Devido as Net Balls e Elm’s, você consegue montar rápido seu setup (Elm’s Busca o Skiploom que tem 60 de HP), além de não ficar sem energias na mão.

CONTRAS:

  • Baixo HP dos Pokémons – extremamente “papéis”.
  • Sofre muito contra Deck’s Spread (que espalham dano), já que não possui ferramentas para controlar dano sofrido no banco e os Pokémons possuem baixo HP.
  • Baixo Draw Power (Oranguru chega ao deck para compensar um pouco isso)

Sem dúvidas Lost March é um deck para ficarmos de olho nesse Intercontinental.
Com poucos Contras e muitos Prós favoráveis, o deck vem sendo o preferido de muitos nos treinos em diversos lugares do Brasil.

E você, o que acha? Lost March tem força para buscar um topo no IC?
Deixe nos comentários sua opinião sobre esse canhão de dano!

Confira  tudo de melhor que rola no mundo do Pokémon TCG na área dedicada a esse fantástico Card Game no nosso Portal!

Comentar via Facebook