Nesse último sábado aconteceu o jogo entre Pain e Flamengo pela semifinal do CBLOL. Os tradicionais evoluíram muito durante o torneio, saindo de um time inconstante e quase desclassificado para os finalistas da competição.

A Pain é um dos times mais tradicionais do CBLOL, foram 15 participações da competição, 6 finais (contando a atual) e dois títulos, eles também possuem uma passagem pelo Mundial que muitos consideram a melhor campanha de um time nacional na competição. A Pain também é responsável por revelar grandes nomes do cenário, como kami, brtt, Dioud entre outros.

Nesse split, a Pain começou de forma inconstante, a principio eles eram um dos times cotados para começar dominando, devido as poucas mudanças em seu elenco, mas não foi o que ocorreu. Os tradicionais até conseguiram algumas vitorias importantes contra os times mais fracos, mas na hora de enfrentar adversários diretos eles deixaram a desejar, terminando a primeira etapa da fase de grupos 4-5 e iniciando a segunda parte com derrota contra a LOUD.

Pain
Imagem – reprodução paiN Gaming

Durante as coletivas com os jogadores e comissão técnica, era visível a frustração da organização perante o desempenho no torneio, em alguns momentos foi até mesmo dito que não se sabia o que acontecia para não conseguirem desempenhar bem nos jogos oficiais, uma vez que os treinos eram satisfatórios. 

A mudança realmente começou a ficar evidente quando eles enfrentaram a RED, e para a surpresa de muitos, os tradicionais venceram o confronto. A segunda parte do torneio foi surpreendente por parte da Pain, uma vez que eles foram o time (juntamente com a Vorax) que teve a melhor campanha na segunda parte da fase de grupos, ficando 7-2.

Imagem – reprodução paiN Gaming

Essa mudança brusca se deve muito ao fato da Pain ter entendido como o seu novo time funciona, mesmo tendo apenas uma mudança na line que disputou o segundo split de 2020, a adição de Luci realmente impactou o time. Com isso a evolução da rota inferior foi essencial nessa campanha, dando espaço para em sequência os outros jogadores evoluírem também, como Robo que foi protagonista na vitória contra a Loud e Cariok, o protagonista contra o Flamengo

Sem duvidas é inegável que a Pain vem forte para sua sexta final na competição, todos os jogadores estão jogando bem e de forma coletiva. Ainda existem pontos a serem melhorados como a afobação e pressa para terminar as jogadas, mas isso são detalhes comparado ao que essa equipe teve que superar na etapa.


O CBLOL retorna no dia 18 com a Final e você confere a cobertura completa aqui no UAILISTAR.

Siga nossas redes sociais

Comentar via Facebook