Inteligência artificial vence jogadores amadores de DOTA 2 e já mira em equipe profissional.

Imagine uma competição de eSports onde humanos iriam competir contra robôs. Sim, isso um dia pode acontecer graças a inteligência artificial chamada de OpenAI Five. A equipe de robôs conseguiu vencer humanos em uma partida contra um grupo amador de Defense of the Ancients 2 (DotA 2). Para realizar tal feito a OpenAI Five contou com cinco redes neurais trabalhando simultaneamente.

Para vencer a partida os computadores treinaram arduamente durante muito tempo. Para masterizar o jogo as máquinas simulava 180 anos de partidas contra ela mesma diariamente. Foram 180 anos todo santo dia para aprender com os seus próprios erros e acertos.

Para que tudo isso desse certo a equipe de inteligência Artificial contava com um hardware de última geração. O sistema usa 256 GPUs e 128 mil núcleos de processamento, que usam o Proximal Policy Optimization, um apanhado de códigos que melhora o aprendizado com algoritmos.

“Usando uma rede separada de memória de longo prazo para cada herói e nenhum dado humano, a OpenAI Five aprende estratégias reconhecíveis. Isso indica que o aprendizado por reforço pode render um planejamento a longo prazo com uma escala grande, mas alcançável — sem avanços fundamentais, contrariando nossas próprias expectativas ao iniciar o projeto”, explicou uma representante do projeto.

O funcionamento das máquinas

Para que a OpenAI Five obtivesse sucesso ela teve que aprender os sete pontos fundamentais para alcançar a vitória. O primeiro ponto crucial foi o trabalho em equipe. Masterizando as habilidades e as características de cada personagem e neutralizando com eficiência as principais peças do adversário. O segundo ponto foi a previsão de valores, que permitiu antecipar as manobras e o impacto das mesmas na partida.

A máquina aprendeu em seguida um pouco mais sobre a Floresta. Fazer uma bela rotação e vasculhas cada espaço ajudaria a encontrar inimigos escondidos. Os robôs traçavam estratégias interessante e se reposicionava de maneira surpreendente no mapa.

Outra atitude chave para a vitória foi se concentrar nas múltiplas habilidades que custam mais para assegurar uma morte inimiga mais valiosa. Para garantir o sucesso nas lutas as máquinas tiveram que aprender a antecipar o movimento dos outros jogadores para prevenir que eles escapassem.

Não pense que os robôs não criam as famosas BAITS. A a OpenAI criava situações propositais no mapa como forma de distração em prol de um objetivo maior. O sacrifício de um campeão chamava a atenção da equipe inimiga e ajuda as máquinas a conquistar a sua vitória.

Acompanhe abaixo um vídeo demonstrando toda a gameplay das inteligência artificial:

A equipe de computadores agora treina arduamente para a sua maior meta: derrotar uma equipe profissional de DotA 2.

Para mais notícias e curiosidades sobre tudo que rola no mundo dos Games e dos e-Sports acesse a nossa página nesse LINK e o nosso Youtube.

Comentar via Facebook
Betway Brazil Esports Image Banner