Jogos fracos em macro, com alguns despontes, marcam a 12ª rodada do CBLoL.

Jogos com pouca demonstração de evolução em macro pelas equipes acabam por decepcionar o espectador, resultando em uma tabela de dois líderes isolados, um último colocado isolado e um grande grupo de times similares. As esperanças diminuem junto com o aumento da impressão de que o cenário profissional nacional não tem o que é preciso para competir com as major leagues nem hoje, nem num futuro próximo.

Sorte x Nós erramos e entregamos mais uma. Digo… CNB x Team ONE

Sendo esse o jogo que competiu mais fortemente com INTZ x UP pelo troféu de mais feio da rodada, o confronto deixou a CNB ainda mais próxima dos playoffs, encostando em Pain e INTZ. As 5 vitórias dos blumers dão a eles novas esperanças para continuar buscando não apenas fugir do rebaixamento, mas também brigar por uma vaga nas eliminatórias.

O time de PBO e amigos errou muito (muito mesmo), mas a Team One conseguiu se perder ainda mais nas rotações e lutas. Com isso, a CNB aproveitou para fechar a segunda semana seguida sem derrotas! O jogo completo você confere abaixo:

GG jogão. Os candidatos ao título fazem a rodada valer a pena

O confronto pelo topo da tabela foi o único que “se salvou” dentre os demais nesse domingo de CBLoL. Tendo mais do que um abate por minuto, a partida foi frenética, com contestações e trocas intensas em todas as rotas. O diferencial, no entanto, esteve nas mãos de Robo e BrTT para essa partida. Robo, com seu Shen, não começou muito efetivo, levando em consideração que o campeão não consegue tankar por muito tempo no início, além de toda a pressão exercida por Dynquedo com seu Aatrox. Já o ADCarry, BrTT, novamente pôde desfrutar de um bom suporte do caçador e do midlaner, além de diversas barricadas deixadas para ele, que chamou a responsabilidade e fez grande jogo.

A inversão de Dynquedo com o toplaner Wizer foi muito proveitosa para os ninjas, já que Wizer com seu Jax soube lidar muito bem com Goku na rota do meio e o Aatrox de Dynquedo exerceu enorme pressão 1v1 em Robo. Logo no início da partida, um dive mal executado pelo FLA dá muita vantagem para a Kabum, que não conseguiu aproveitar como deveria para encaminhar o jogo. Acompanhe:

No entanto o jogo “já era do Flamengo”. As constantes lutas em grupo sempre contavam com um ou dois jogadores a mais. Por isso, mesmo com Wizer e Dynquedo conseguindo desferir golpes dolorosos na equipe rubro-negra, o FLA leva mais uma e empata com os ninjas na liderança isolada da tabela, com 9 pontos!

A gente vai pra cá? Pra lá? Da engage? Volta? Ih, acabou o jogo!

Em mais um dos jogos decepcionantes do dia, Pain Gaming e Redemption performaram um jogo cheio de tentativas e recheado de erros. Assim como o jogo de FLA x KBM, PNG e RDP trocaram agressões diversas vezes durante a partida. No entanto os abates eram consolidados mais por erros, overextends, throws e mal posicionamento do que realmente por funcionamento das composições.

O maior destaque veio pelo impacto de perceber que ambas as equipes tinham pouca certeza do que fazer quando estavam com a vantagem. Por um lado, uma Pain Gaming que não conseguia fechar boas team fights aproveitando a vantagem para forçar lutas desnecessárias e, de outro, uma Redemption com problemas para controle de visão no mapa e distribuição de seus jogadores. O público ainda pôde ser agraciado com alguns lances interessantes e de boa mecânica como esse, de Tinowns (que se destacou de todo o resto do time da Pain pela boa atuação hoje), junto ao caçador Minerva, aos 10 minutos de jogo:

No mais, a partida ainda decepcionou pela séria dificuldade de macro de ambos os times, que resultou em um jogo fraco se comparado ao nível das demais ligas internacionais.

“Alguém segura o top lá, por favor. To indo mid”

Em disputa acirrada com o primeiro jogo do dia, INTZ e Uppercut parecem ter se esforçado para receber o prêmio Mica0 de posicionamento. A boa atuação de alguns jogadores como Anyy e RedBert não conseguiu compensar o jogo fraco que foi apresentado ao público.

Mais uma vez, dois times brasileiros apresentam uma partida com sérias dificuldades de macro, resultando em lutas desorganizadas, indecisão quanto ao uso de habilidades e feitiços, além de rotações que deixam diversas brechas para o adversário poder trabalhar. Observe no vídeo abaixo como Mica0 e Redbert saem junto da dupla adversária para a inversão, no entanto, no meio do caminho decidem defender a rota do meio e deixam completamente desguarnecida a rota superior:

É por essas e tantas outras que o Campeonato Brasileiro de League of Legends ainda tem muito a evoluir se um dia quiser voltar a poder competir em bom nível internacionalmente. As competições mundiais tinham, primariamente, o intuito de auxiliar os clubes de ligas minor a ganhar experiência e compartilhar com seus conterrâneos a fim de melhorar a qualidade do cenário nacional. No entanto o que temos visto é apenas mais um “copia e cola” constante e uma falta de identidade como liga independente.

Você acompanha o CBLoL pelos canais oficiais da Riot Games e aos sábados também pelo SporTV 3.

Para mais notícias sobre LoL, acesse nosso portal.

Comentar via Facebook
Betway Brazil Esports Image Banner