A franquia Pokémon completará 25 anos de existência no próximo dia 27 de fevereiro. Contudo, como uma pessoa que cresceu influenciado por estes monstrinhos, irei falar de como a franquia “moldou” a minha vida.

Conheci Pokémon através do anime visto que não tinha um gameboy. Entretanto, aquele mundo mágico já me conquistou logo de início e daí para frente o consumo foi só aumentando.

Ainda bastante novo, com no máximo 5 anos de idade, meus pais me levaram no cinema e o longa era sobre eles. Em uma locadora, sempre que podia alugava o primeiro filme da franquia.

LEIAM MAIS

Em uma loja, em que uma tia minha trabalhava, vendia de tudo. Desde roupas de times até brinquedos. E justamente estava lá, um deck de TCG Pokémon. Foi amor a primeira vista e eu tinha um deck de fantasmas. Pouco tempo depois meu deck era composto por fantasmas e um Pikachu. Este card ganhei ao comprar a fita do segundo filme.

Anos se passaram e eu continuava a consumir de alguma maneira a franquia. Seja jogando os jogos de Nintendo 64, vendo o anime, colecionando tazos ou simplesmente colecionando os Guaranás Pitchulinhas promocionais que vinham com uma pokebola e um pocket monster. Até que conheci o maravilhoso mundo dos emuladores e eu e meus amigos baixamos Pokémon Crystal.

Antes disso, a única vez que joguei um RPG da franquia foi o Ruby na casa de um primo. Entretanto, foi só o início do jogo. Mas quando me propus a jogar o Crystal, fiquei totalmente envolvido com o jogo- mesmo sem saber o que fazer na maioria das vezes.


Anos foram passando e ainda por não ter um console que rodasse os jogos tinha de recorrer a emulação para jogar. Aí entrei na faculdade e até então Pokémon era coisa de nerd esquisito.

Uma nova era com o mundo mobile

Entretanto, muita coisa muda com o lançamento de Pokémon GO. O jogo mobile foi uma febre estrondosa, como qualquer coisa que envolva os Pocket Monsters. Com isso, via-se pessoas (que nunca jogaram uma versão sequer do RPG principal ou dos jogos secundários) totalmente imersas num universo fantástico.

O BOOM até passou mas o jogo mobile movimenta bastante a minha faculdade, movimentava já que a pandemia não deixa.

União dos primos por causa de Pokémon

Mas ao mesmo tempo que isso tudo acontecia, na minha família, surgia dois novos “fãs de carterinha” da franquia. Meus primos não cresceram nos anos 2000 quando Kanto, Johto e Hoenn eram as regiões que a gente estava descobrindo junto de Red, Gold (ou Ethan), Brendan, Ash, Misty e Brock. Mas Alola e Galar estão mostrando a eles como este mundo é rico e maravilhoso.

Esse texto todo foi simplesmente para agradecer ao grande Satoshi Taijiri por criar uma das franquias mais belas e legais já existentes no mundo. Hoje com quase 27 anos, sinto que Pokémon é um amigo, um irmão mais novo que sempre esteve ali nas horas boas para me alegrar.

Baixe Pokémon GO na Play Store ou na App Store.

Para mais notícias, acessem nosso portal.

Comentar via Facebook