A empresa desenvolvedora do League Of Legends já tinha se envolvido em polêmicas relacionadas a abusos e discriminações em julho

A Riot Games já tinha sido alvo de denuncias a algum tempo e agora está sendo processada por uma ex-funcionária da empresa por discriminação de gênero no ambiente de trabalho. Os processos foram feitos por duas ex-funcionárias da empresa, segundo o relato da Kataku elas seriam, Melanie McCracken (funcionária) e Jessica Negron (ex-funcionária), que relataram um cultura totalmente machista além de que a Riot “recompensa comportamentos que desfavorecem mulheres.”

O preconceito na Riot começa logo na contratação, hoje a desenvolvedora conta com 2,5 mil funcionários onde 80 por cento são homens. Segundo relatos a empresa evitar contratar mulheres devido ao fato de que elas não se encaixam no perfil de ” Gamer raiz ”.

No processo as ex-funcionárias relatam que é comum na empresa a remuneração salarial diferente entre homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo, e ainda existem relatos de funcionárias que encontram suas carreiras sendo reprimidas ou paralisadas, somente por serem mulheres. Outro ponto muito crítico no processo são os relatos de assédio sexual, má conduta e preconceito que as mulheres sofrem dia-a-dia no ambiente de trabalho.

Todos esses relatos enquadram a empresa em várias penalidades de acordo com as leis da Califórnia. No processo Negron e McCracken estão pedindo danos morais e salários não pagos pela empresa, os valores devem ser calculados pela justiça.

O primeiro relato sobre os assédios que existem na Riot Games ocorreu em agosto e após a polêmica se espalhar pela internet a empresa emitiu um pedido de desculpas e anunciou uma plano de medidas visando melhorar o ambiente de trabalho da empresa para as mulheres.

Mesmo com todas as medidas a empresa não demitiu alguns dos nomes citados por promover o desrespeito e a discriminação na empresa. Um desses nomes citados Scott Gelb ainda é funcionário da empresa e da acordo com relatos o funcionário foi acusado de tocar em partes íntimas dos corpos das funcionárias.


A Riot Games soltou o seguinte comunicado ao caso atual do processo vigente :

“Embora não discutamos os detalhes do processo em andamento, podemos dizer que levamos todas as alegações desta natureza com muita seriedade e que vamos investigá-las completamente. Continuamos comprometidos com uma evolução profunda e abrangente da nossa cultura para garantir que a Riot seja um lugar onde todos os Rioters possam prosperar”.

O processo de Melanie McCracken e Jessica Negron contra a Riot Games pode ser lido por completo aqui.

Para mais notícias sobre LoL ou outros e-sports acesse nosso portal e nosso canal no youtube.

Comentar via Facebook