Falhas do Flamengo aparecem apenas no sexto jogo CBLoL. Será que os times estão encontrando a fórmula para alcançar o líder?

A última partida do primeiro turno do CBLoL foi a mais difícil até agora para a equipe do Flamengo eSports. Em duelo contra a CNB, uma “brecha” foi encontrada pelos Blumers para tentar vencer o invicto FLA. Este espaço encontrado levou a algumas falhas da equipe rubro-negra, que precisou de muito esforço para vencer a partida.

Pode-se dizer que o Flamengo optou por um estilo peculiar de jogo: “alimentem o BrTT com tudo o que tiverem”. Todas as rotações, barricadas, abatesfarm possíveis foram deixados para o atirador. A composição remete muito ao tempo de PaiN Gaming do ADCarry, em que a mesma funcionava como um “protect the carry“. Atualmente, o nome poderia ser alterado para “feed the carry“, levando em consideração todo o ouro angariado para o mesmo, de forma a igualar a vantagem obtida por PBO com seu Lucian durante as rotas.

A necessidade de um early acelerado para a composição do Flamengo, os fez errar em diversas situações, nas quais entregaram ainda mais vantagens para os Blumers. Acompanhe abaixo dois destes casos:

1: Dive com agro da torre mal controlado, resultando em um first blood nas mãos da CNB

A ideia até que foi boa, já que o trabalho do toplaner Robo foi de deixar a vida do Sion adversário no mínimo que conseguisse. Isso facilitaria o dive e foi trabalhado por Robo desde o nível 1 antes da chegada dos minions.

2: “Emocionada” de Robo para cima do Lucian de PBO em jogada estranha na botlane após o Blumer ter gastado seus feitiços.

De forma estranha e um tanto desengonçada, Robo acaba dando um abate totalmente de graça para PBO após ter forçado o atirador a gastar seus feitiços.

Como a situação foi resolvida?

Mesmo após imensa pressão da CNB, que jogou inteligentemente ao não deixar que PBO tivesse sua vantagem muito diminuída pelo atirador rubro-negro, o FLA conseguiu encaixar boas lutas e executar a composição de “wombo-combo” pensada no draft. Em suma, o Flamengo conseguiu dar a volta por cima, mas os méritos (no caso deméritos) cabem à CNB por não conseguir ter finalizado (ou encaminhado) o jogo após a execução do barão. O Flamengo eSports tinha, além do Barão, dois buffs infernais “atrás” do time adversário, algo que torna o jogo incrivelmente mais difícil.

A resposta, no entanto, não dependeu exclusivamente disso já que o time conseguiu um “follow-up de dano” interessante colocando nas mãos de BrTT e Goku o dever de eliminar todos os alvos. Os outros três campeões do time tinham função de pickoff ou controle de grupo nas TFs (eram eles: Lee Sin, Alistar e Ornn), facilitando o trabalho dos carregadores.

A vitória e o 7/0 vieram para o Flamengo, mas o trabalho na fase de pick/bans, para neutralizar um earlygame forte foram pontos-chave para o aperto do time. Será que a supressão do jogo de BrTT e o abuso das (não tão poucas) emocionadas de Robo podem ser a resposta para a primeira derrota do Flamengo? Veremos nas próximas semanas!

E ai torcedor rubro-negro? Passou nervosismo nesse jogo? Você acha que para as próximas semanas o FLA pode corrigir essas falhas? Comente e marque seus amigos!

Para mais notícias sobre eSports acesse nosso portal e nosso canal no Youtube.

Comentar via Facebook
Betway Brazil Esports Image Banner